ah, terra transmontana

ah, terra transmontana

que não tens um cantor à tua altura!

um Marão inspirado,

um Doiro inquieto,

um plaino aberto

de carne e osso

capaz de recriar noutra verdade

esta grandeza austera,

onde as pedras parecem ter vontade,

e nenhuma vontade desespera.

In Antologia Poética, Miguel Torga

Anúncios
This entry was posted by Paulo Abrantes.

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: